19 de abril de 2012

Ciências irrelativas da Humanidade


Buscando a certeza

Duro no duro

Ponto de início sem meio


e finalmente


a beira-rio


um precipício rochas


felpudas em desalinho


pular a beira de um precipício


a vida solida


peixes ex-cardume


ex- conhecido


solidão


Pular a beira um precipício


Solidão


Pular a beira um precipício


Sólido


Solidariedade

Clayton Pires

2 comentários:

Reginaldo disse...

puts tu es o criador desses poemas?

Creitoo pires disse...

Olá Reginaldo, sim, eu escrevo! rsrs

Obrigado por ler meu espaço.